sexta-feira, 6 de julho de 2007

Modernices

É fantástico andar de eléctrico em Lisboa nos dias de hoje... especialmente quando temos a sorte (?) de apanhar um destes modernos!...
Estejam atentos aos outros que o esperam e aprendam:
Para entrar, há que premir o botão que abre a porta! É que com tantas portas que têm agora,corremos o risco de ninguém estar a sair por aquela que está (mais ou menos) à nossa frente, e ficarmos a "vê-lo passar" como o homem do velho anúncio da Diane.
O segundo passo, não menos divertido, é conseguir comprar o bilhete. Ok, certo, qual é a piada de comprar o bilhete, perguntarão vocês. Haha! Vejo que a experiência não abunda por essas bandas!
A piada é que, eventualmente, passaremos todo o trajecto a tentar fazê-lo, para chegar ao fim-à nossa paragem- e sair sem o dito cujo!
Passo a explicar: Há duas máquinas automáticas para cuspir o papelinho de 1,30€, a tarifa única. Funcionam SÓ com moedas. E se não tivermos moedas? Tivessemos!
Pronto, pronto, claro que temos moedas! Ok, a danada da máquina insiste em rejeitar a nossa moeda de 1€ (vá-se lá saber porquê), e não temos que chegue em moedas pequeninas... ooohh...
Bem, talvez pedindo ajuda ao condutor... COMO? CONDUTOR? IHIHIHIH!!!
Carissímos, isso era dantes! Agora temos umas donzelas encarceradas com paredes de vidro que nem sequer nos ouvem... Espera lá, mas eu nem sei bem onde vou sair, ía perguntar ao condutor... IHIHIH outra vez!!! Não há perguntas para ninguém que as meninas não estão lá para dar confias...
Pronto, pergunta-se aos outros passageiros e já está.
De volta à máquina, que nem à lei da bala cospe o raio do papel, podemos observar os mais rodados a "raspar a borda da moeda" na dita máquina antes de a inserir. E não é que assim conseguimos lá enfiar a maldita moeda de 1€??? Pobrezita, afinal o problema estava nos preliminares...
Só mais um pormenor: Para parar, é preciso carregar no botão que abre a porta... Tudo bem! não tenham medo! Acho que a dita só abre quando está parado...
Assim, minhas amigas e meus amigos, com sorte e muita gente no eléctrico talvez se safem, porque de outra forma é dificil, acreditem, que vos digo eu.

2 comentários:

Anamar disse...

Pois é Maga... e os velhinhos eléctricos que cada vez aparecem menos! São a única maneira de se matar saudades da feira popular!

Ângelo R. Borges disse...

É preciso ser Maga, para se ter um aranhiço de estimação!
Uma vez que não pareces adepta dos eléctricos... Já pensaste em voar numa vassoura a biodiesel, para ser menos poluente?